Diving or Climbing…

29 06 2010

Imprevisível, este turbilhão que me arrasta

numa interminável espiral que me desgasta.

Perco o Norte, confundo-me nesta vertigem

afundo-me neste pensar, nesta tortuosa viagem.

Não distingo a queda da ascenção, caío ou não

rodopio, reviro, nesta tempestade mental

procuro resposta, procuro força, uma mão

que me afaste deste terror, que me quero mal.





Rever-te

21 03 2010

Rever-te nesse teu ar de menina,

Nessa tua alegria de vida vivida,

Nessa beleza no tempo vestida.

É prazer jamais sentido,

Tremor que me trespassa

E me amarra as palavras,

Me mantém alerta na noite

E moribundo no caminhar dos dias.


Revejo-te, mas não me vejo

Reflexo que não surge no espelho

Onde sempre revi a vida.

Já vida não vejo neste lampejo

Nem futuro prometido nesta solidão.

Para H






Melancolia IV

12 11 2009

Para H





Feliz

12 11 2009

Pudera eu viver,

Vivendo-te.

Pudera eu amar,

Amando-te.

Pudera eu ter-te,

Dando-me.

E na morte sorrindo estarei,

Da felicidade colhida.

Para H





Rumo [2]

15 08 2009

Por vezes ficamos sem rumo, é assim que me sinto…

“Foi tão fácil

Deixar-me perder

Sem sinais

No teu céu

Pois eu já não encontro

O caminho

Eu não sei mais

Como hei-de voar

Esquecer

Livrar o pensar

Se és tão frágil

Neste mundo

Continuo a deixar-me perder

Sem sinais

No teu céu

Pois eu já não encontro

O caminho”

Cazino





Luna

20 07 2009

Hoje, dia em que se comemora a chegada do primeiro homem à superfície lunar, também eu me lembrei de “botar” faladura. Não que a lua me impresione muito, muitas vezes a percorri nas divagações de juventude, mas o que me impressiona deveras, é a viagem em si, o espaço, o vazio, o infinito desconhecido. A viagem essa sim adoraria fazer, e não apenas até à lua, pois essa é já ali, mas uma viagem que me levasse onde ninguém jamais fora. Há uns anos dizia, e hoje reforço essa ideia, aos senhoras da NASA, se quiserem um voluntário, para tripular uma nave que vá e não volte mais, contem comigo, a única exigência, simples de realizar, apenas uma base de dados com toda a música feita neste globo azul, aí meus senhores terão um novo Amstrong. Pensem bem, poderão não voltar a ter uma proposta tão boa.

Lua minha linda já foste!!!!





Noutra dimensão

19 07 2009

Não sei se se recordam de uma série que passou em tempos “5ª Dimensão”, pois é, por vezes temos, pelo menos eu tenho, a sensação de que estou noutra realidade, ou que esta em que vivo, anda distorcida. Outras vezes é aquela sensação de “Dejá Vu”, só que não se trata propriamente de “dejá vu”, é mais um rewind and play. Parece que parei no tempo, e que tudo se vai repetindo ciclicamente, só que o tempo, esse não pára na realidade.

Tudo parece orquestado por forma a fazer cumprir alguma penitência por crimes anteriormente cometidos, um castigo dívino, por lapsos cometidos, mas caramba, não me recordo de ter tido assim tantos, é que a contagem não tem meio de parar. A piada, se é que ela existe, é que tudo à volta se desenrola dentro da normalidade, e até se vai resolvendo tudo a pouco e pouco, para todos, para estes lados é que fica mais pelo “rewind and play again”.

Mas como nada há que eu possa resolver, vou tentando aprender com cada passagem, os erros cometidos, para que um dia os não volte a cometer. Vamos seguindo, conhecendo e aprendendo com outros, até por muito que isso nos custe e nos derrube, temos de levantar e continuar em frente.