Diving or Climbing…

29 06 2010

Imprevisível, este turbilhão que me arrasta

numa interminável espiral que me desgasta.

Perco o Norte, confundo-me nesta vertigem

afundo-me neste pensar, nesta tortuosa viagem.

Não distingo a queda da ascenção, caío ou não

rodopio, reviro, nesta tempestade mental

procuro resposta, procuro força, uma mão

que me afaste deste terror, que me quero mal.





Se eu te amasse

26 04 2010

E se eu te amasse de verdade!

Não com esta intensidade,

Mas com a força do sol.

E se eu te amasse de verdade!

Com mais paixão e vontade

Que ver o dia raiar.

E se eu te amasse de verdade!

Com o que no peito não cabe

e que para ti transborda neste sentir.

E se eu te amasse de verdade!

Olharias para mim amanhã

Da forma que não me vês hoje? 

Para H





Beijo

31 03 2010

Ardo neste desejo contido,

nesta amargura da certeza,

de não te ter aqui comigo,

nem tão pouco sentir a leveza

que um beijo teu possa acalmar

esta tempestade, esta fúria de mar.

Apenas me é permitido

a proximidade dessa grandeza,

alma sublime em vaso contido,

vislumbre de graciosa beleza,

que deixas pairar neste ar

o qual insisto em respirar.

Viciante esta constante presença,

que me arrebata nessa crença

de um dia parar de sofrer

e comigo teu amor morrer.

Para H





Rever-te

21 03 2010

Rever-te nesse teu ar de menina,

Nessa tua alegria de vida vivida,

Nessa beleza no tempo vestida.

É prazer jamais sentido,

Tremor que me trespassa

E me amarra as palavras,

Me mantém alerta na noite

E moribundo no caminhar dos dias.


Revejo-te, mas não me vejo

Reflexo que não surge no espelho

Onde sempre revi a vida.

Já vida não vejo neste lampejo

Nem futuro prometido nesta solidão.

Para H






Esse teu sonho

18 03 2010

Aguardo pelo sono que te trás

Quero-te guardar nesse teu sonho

Que tomo como meu repetidamente

Embalo-me nele ao deitar

Desperto na manhã com ele

E sonho o sonho de te sonhar

Nesta ilusão que me adormece

Os sentidos, o ser e o coração

Para H





Feliz

12 11 2009

Pudera eu viver,

Vivendo-te.

Pudera eu amar,

Amando-te.

Pudera eu ter-te,

Dando-me.

E na morte sorrindo estarei,

Da felicidade colhida.

Para H





Regato

25 08 2009

Quando o Amor é abundante

e fluí por si neste regato de vida,

fácil será não o represar

e deixá-lo escoar no oceano

diluí-lo sem paladar, sem prazer.

E, só no entardecer da vida

nos damos conta dessa perda

que bem perto tivemos, sem ver

sem sentir esse fluir, num vazar do ser.

Não o percas, traz uns ramos,

represa esse riacho,

faz dele um lago,

para que,

quando a secura da vida te chegar,

possas saciar a sede e reconfortar a alma

no luar espelhado nele, e aí, viveres a vida,

partilhares o barco que te leva para o anoitecer.

Represa-me, e saciarei a tua sede até Sempre.

Para H