Rever-te

21 03 2010

Rever-te nesse teu ar de menina,

Nessa tua alegria de vida vivida,

Nessa beleza no tempo vestida.

É prazer jamais sentido,

Tremor que me trespassa

E me amarra as palavras,

Me mantém alerta na noite

E moribundo no caminhar dos dias.


Revejo-te, mas não me vejo

Reflexo que não surge no espelho

Onde sempre revi a vida.

Já vida não vejo neste lampejo

Nem futuro prometido nesta solidão.

Para H


Anúncios




Esse teu sonho

18 03 2010

Aguardo pelo sono que te trás

Quero-te guardar nesse teu sonho

Que tomo como meu repetidamente

Embalo-me nele ao deitar

Desperto na manhã com ele

E sonho o sonho de te sonhar

Nesta ilusão que me adormece

Os sentidos, o ser e o coração

Para H





Quando se recordam os amigos

19 10 2009




Rumo [2]

15 08 2009

Por vezes ficamos sem rumo, é assim que me sinto…

“Foi tão fácil

Deixar-me perder

Sem sinais

No teu céu

Pois eu já não encontro

O caminho

Eu não sei mais

Como hei-de voar

Esquecer

Livrar o pensar

Se és tão frágil

Neste mundo

Continuo a deixar-me perder

Sem sinais

No teu céu

Pois eu já não encontro

O caminho”

Cazino





Viste-me?

15 08 2009

Querer nem sempre é poder

e até esse, o poder, eu perdi,

nem tão pouco quero manter,

este querer que em mim vi.

Paixão, nem sempre é amor,

no confuso ser que hoje sou,

não deslindo se é esta a dor

de amar quem não me olhou.

Não me viu, nem fui visto,

passo ao lado do querer,

e no fim de tudo isto,

a Amar quero morrer.

Para H





Esperança

15 08 2009

Trago no bolso um punhado de esperança, da pouca que me restou ao nascer.

não sei bem que fazer, mas gostaria de a poder continuar a gastar contigo.

é tão pouca esta esperança, que nem sei bem se durará o tempo que me possas dar para a gastar.

é tudo o que tenho, deste carrossel em que a vida me transformou, um pequeno punhado de esperança.

no entanto, com o reduzir na quantidade, ela vai aumentando em força.

e tem mais força amanhã, do que teve hoje, esta esperança é forte, cada vez mais forte.

por isso, amanhã vou ter menos esperança mas mais forte, vou continuar a ter esperança, mais em mim mas muito mais em Ti.

Para H





A Luz do teu Olhar

14 08 2009

Dobram-se-me as palavras que te não digo

revoltas nesta garganta em asfixiante sufoco.

Neste dique feito boca, que represa a torrente

de sentimentos nascidos na mente.

Tanto para dizer, num vazio não pronunciado,

tanto para dar, num refrear de emoções quentes.

Páro, mantenho a distância que me impões

e nesse vislumbre do teu Ser, adoro-te e venero-te.

À distância de um abraço, fico num torpor vulcânico,

sabendo que continentes de vontade nos separam,

e assim espero, que o mar seque, que o Sol se apague

para por fim te mostrar toda luz que és para mim.

Para H  

Orquidea2