Regato

25 08 2009

Quando o Amor é abundante

e fluí por si neste regato de vida,

fácil será não o represar

e deixá-lo escoar no oceano

diluí-lo sem paladar, sem prazer.

E, só no entardecer da vida

nos damos conta dessa perda

que bem perto tivemos, sem ver

sem sentir esse fluir, num vazar do ser.

Não o percas, traz uns ramos,

represa esse riacho,

faz dele um lago,

para que,

quando a secura da vida te chegar,

possas saciar a sede e reconfortar a alma

no luar espelhado nele, e aí, viveres a vida,

partilhares o barco que te leva para o anoitecer.

Represa-me, e saciarei a tua sede até Sempre.

Para H





Rumo [2]

15 08 2009

Por vezes ficamos sem rumo, é assim que me sinto…

“Foi tão fácil

Deixar-me perder

Sem sinais

No teu céu

Pois eu já não encontro

O caminho

Eu não sei mais

Como hei-de voar

Esquecer

Livrar o pensar

Se és tão frágil

Neste mundo

Continuo a deixar-me perder

Sem sinais

No teu céu

Pois eu já não encontro

O caminho”

Cazino





Viste-me?

15 08 2009

Querer nem sempre é poder

e até esse, o poder, eu perdi,

nem tão pouco quero manter,

este querer que em mim vi.

Paixão, nem sempre é amor,

no confuso ser que hoje sou,

não deslindo se é esta a dor

de amar quem não me olhou.

Não me viu, nem fui visto,

passo ao lado do querer,

e no fim de tudo isto,

a Amar quero morrer.

Para H





Esperança

15 08 2009

Trago no bolso um punhado de esperança, da pouca que me restou ao nascer.

não sei bem que fazer, mas gostaria de a poder continuar a gastar contigo.

é tão pouca esta esperança, que nem sei bem se durará o tempo que me possas dar para a gastar.

é tudo o que tenho, deste carrossel em que a vida me transformou, um pequeno punhado de esperança.

no entanto, com o reduzir na quantidade, ela vai aumentando em força.

e tem mais força amanhã, do que teve hoje, esta esperança é forte, cada vez mais forte.

por isso, amanhã vou ter menos esperança mas mais forte, vou continuar a ter esperança, mais em mim mas muito mais em Ti.

Para H





A Luz do teu Olhar

14 08 2009

Dobram-se-me as palavras que te não digo

revoltas nesta garganta em asfixiante sufoco.

Neste dique feito boca, que represa a torrente

de sentimentos nascidos na mente.

Tanto para dizer, num vazio não pronunciado,

tanto para dar, num refrear de emoções quentes.

Páro, mantenho a distância que me impões

e nesse vislumbre do teu Ser, adoro-te e venero-te.

À distância de um abraço, fico num torpor vulcânico,

sabendo que continentes de vontade nos separam,

e assim espero, que o mar seque, que o Sol se apague

para por fim te mostrar toda luz que és para mim.

Para H  

Orquidea2





Raúl Solnado 1929-2009

8 08 2009

Raul-Solnado

Há pessoas que deveriam ser eternas, e o Raúl Solnado é uma delas. Fiquei arrepiado ao ouvir a notícia, perdemos o soldado Solnado da guerra de 1908. Faz parte das minhas memórias de infância, das recordações da adolescência e das lições de vida que transmitiu ao meu ser já adulto. Grande perda para todos nós, que vida cheia teve, e no fim Solnado tem tudo a ver com Saudade. RIP e um bem haja por tudo o que nos deixou.