Confuso

27 07 2009

Oiço-te e não te vejo

Acordas-me a noite serena

Falas-me e não te oiço

Iluminas a escuridão

Vejo-te e não te falo

Nesse breu da noite e da vida.

Para H

Anúncios




A Alegria de ser Pai [3]

27 07 2009

Esta redescoberta dos momentos passados junto da nossa semente que vamos vendo crescer, ganhar ramos, folhas e flores, é como o amanhecer fresco e delicado de uma manhã de Primavera.

É uma árvore que se fixa e ganha o seu espaço, a sua identidade, o seu saber estar e ser, é maravilhoso verificar que começa a ter o seu estilo e gosto próprios de quem se destaca e diferencia pelo seu querer, as escolhas que faz, são-no por ser ELA, e não por mais ninguém.

Adoro estes momentos, é como desfolhar um livro que ajudámos a escrever, mas que acaba com vida própria.





Luna

20 07 2009

Hoje, dia em que se comemora a chegada do primeiro homem à superfície lunar, também eu me lembrei de “botar” faladura. Não que a lua me impresione muito, muitas vezes a percorri nas divagações de juventude, mas o que me impressiona deveras, é a viagem em si, o espaço, o vazio, o infinito desconhecido. A viagem essa sim adoraria fazer, e não apenas até à lua, pois essa é já ali, mas uma viagem que me levasse onde ninguém jamais fora. Há uns anos dizia, e hoje reforço essa ideia, aos senhoras da NASA, se quiserem um voluntário, para tripular uma nave que vá e não volte mais, contem comigo, a única exigência, simples de realizar, apenas uma base de dados com toda a música feita neste globo azul, aí meus senhores terão um novo Amstrong. Pensem bem, poderão não voltar a ter uma proposta tão boa.

Lua minha linda já foste!!!!





Noutra dimensão

19 07 2009

Não sei se se recordam de uma série que passou em tempos “5ª Dimensão”, pois é, por vezes temos, pelo menos eu tenho, a sensação de que estou noutra realidade, ou que esta em que vivo, anda distorcida. Outras vezes é aquela sensação de “Dejá Vu”, só que não se trata propriamente de “dejá vu”, é mais um rewind and play. Parece que parei no tempo, e que tudo se vai repetindo ciclicamente, só que o tempo, esse não pára na realidade.

Tudo parece orquestado por forma a fazer cumprir alguma penitência por crimes anteriormente cometidos, um castigo dívino, por lapsos cometidos, mas caramba, não me recordo de ter tido assim tantos, é que a contagem não tem meio de parar. A piada, se é que ela existe, é que tudo à volta se desenrola dentro da normalidade, e até se vai resolvendo tudo a pouco e pouco, para todos, para estes lados é que fica mais pelo “rewind and play again”.

Mas como nada há que eu possa resolver, vou tentando aprender com cada passagem, os erros cometidos, para que um dia os não volte a cometer. Vamos seguindo, conhecendo e aprendendo com outros, até por muito que isso nos custe e nos derrube, temos de levantar e continuar em frente.





Adversidades

9 07 2009

“Se me pedissem que desse um único concelho, que eu considerasse ser útil para a humanidade, seria este: conta com a adversidade como parte inevitável da vida e, quando ela chegar, ergue bem a cabeça, enfrenta-a olhos nos olhos, e diz: “Sou maior que tu. Não podes vencer-me.” Depois, repete para ti próprio as palavras mais reconfortantes que existem: “Também isto há-de passar.””

Ann Landers

Todos nós atravessamos momentos adversos na nossa vida, uns por pouco tempo, outros por eternos dias que nos apoquentam a alma. Nem sempre é fácil erguer o queixo, nem sempre é fácil superar essas adversidades, mas o momento em qua as enfrentamos, que as superamos, é de um sublime e solitário prazer que nos acentua a vida por vezes amarrotada. E quando pensamos que a estamos a endireitar, logo algo volta  a amarrotar tudo de novo, e assim vamos levando a vida numa engomadoria permanente. Pena que o negócio seja efémero.





Amor de Pai, pode tudo

6 07 2009

Quando por vezes nos queixamos de tudo e de todos, quando achamos que não temos sorte, quando invejamos o bem que os outros têm. Invejemos a força de ser PAI.

Depois de lerem, vejam o video.

Uma história verdadeira:
 
Um dia o filho pergunta ao pai:

“Papa, vens correr comigo a maratona?”
O pai responde que sim, e ambos correm a primeira maratona juntos.
Um outro dia, volta a perguntar ao pai se quer voltar a correr a  maratona
com ele, ao que o pai responde novamente que sim.
Correm novamente os dois.
Certo dia, o filho pergunta ao pai: 
“papa, queres correr comigo o Ironman?(O Ironman é o mais
difícil…exige nadar 4 km, andar de bicicleta 180 km e correr 42)
E o pai diz que sim.
Isto é tudo muito simples…até que se vejam estas imagens…fantástico!





DOWN

1 07 2009

Quero-me libertar de ti, esquecer-me porque caí, mas a tua presença enlaça-me, entorpece-me, e não sei ou não quero fugir. A muralha que havia erigido, ruíu, desabou com o teu sorriso, expôs a fragilidade que tanto quis esconder.

Fiquei vulnerável, tentei à pressa reconstruir essa muralha que me protegia, mas a cada olhar teu, a cada sorrir, as pedras fugiam-me das mãos, e de mãos vazias fiquei. O fulgor que de ti erradia, cegou-me, e cego vagueio por aí.

Qual cego, tento seguir a pouca luz que meus olhos vislumbram, mas na noite escura, nada vejo, e, cansado, ajoelho e peço novo dia de sol, do teu Sol. Longe de sermos unos, serei um, na solidão e no desamparo que a vida me votou.