Desce a chuva

26 11 2008

Desce a chuvachuva12

Com ela caio eu

Quem me ampara

Quem me apoia

Neste silêncio de morte

Nesta solidão sepulcralchuva3

Desce a chuva

Sobre mim.

 

Audio: \”Gravity\”

Anúncios




Som mudo

25 11 2008

Que vazio é este que me continua a corroer, qual ácido a correr-me nas veias.som-mudo11

Tolda-se-me o pensamento, pelo véu da memória.

Quero-te.

Quero gritar o meu ser, no som mudo deste querer, desta angustia de te não ver.

As mãos travam-me as palavras, os olhos toldam-se com lágrimas, excesso do ácido que verte de mim.

Queimo, ardo, cinzo-me, nada sou, nada resta, nem a memória, da rosa colhida no som-mudocoração, ficou.

Leva-me o vento, nada resta.

 

Audio: \”Sound of Silence\”       \”If She Knew What She Wants\”

           \”El Condor Pasa\”          \”Eternal Flame\”





A Alegria de ser Pai

23 11 2008

Nesta nova fase da vida, tenho redescoberto momentos que não sentia à muito, daqueles momentos inesquéciveis que nos marcam e ficam gravados nas nossas memórias.pais2

Redescobri há dias a relação pai/filha, num passeio marítimo ao cair da tarde, com o sol preguisosamente a deitar-se no horizonte do mar, no meio de conversas e risos de quem só ouve a filha, completamente alheado da corrente humana que desfrutava o entardecer.

Descobri uma amiga, por quem tenho um carinho e um Amor tão intenso, que a paisvontade de parar o tempo para prolongar aquele momento foi irresistível, e ao pensar naquele fim de tarde, ainda não consegui entender como é possível que quem tem filhos, desperdiça estes momentos e esta amizade.

Eles são jovens, cheios de vida, as esperanças transbordam do seu ser, são a vida a correr à nossa frente, a nossa vida. Eles apenas querem ser ouvidos, e orientados, teem-nos como ícones, farois que querem seguir e orientar-se na nossa luz, e, nós tantas vezes os pais1ignoramos, os deixamos à deriva sem apoio, pois eu redescobri ser Pai, e é uma felecidade imensa, tudo o resto fica em 2º plano.

Sejam Pais, é optimo.

 

Audio: \”I’m Yours\”





Amigos

21 11 2008

Que coisa reconfortante, ter AMIGOS.

Quando estás por baixo, e o fosso se abre ainda mais à nossa frente, receberes um apoio, uma palavra de um amigo, mostra-nos a ponte para ultrapassar o estado de alma que nos consome.

Eu posso dizer que tenho passado por essa ponte com muito apoio, sou dos que ainda podem dizer que tenho e posso contar com os amigos, é certo que não nos resolvem problemas, mas dão-nos ânimo para os resolvermos, não nos abrem portas, mas ajudam-nos a encontrar o caminho para elas, não cobram nada, mas o pouco que temos é para eles.amigos

Por isso para os meus amigos e amigas, o meu muito OBRIGADO por me terem no vosso coração, o meu, É TODO VOSSO.

Para uma amiga em especial, e desculpa amiga se te vou fazer chorar, mas a música é toda para ti, um BEIJO.

Audio: \”Snow\”                            \”Soul To Squeeze\”

           \”By the Way\”                    \”Don’t Forget Me\”

           \”Otherside\”                     \”Wet Sand\”

           \”Road Trippin\”                 \”Fortune Faded\”

           \”Scar Tissue\”                   \”Desecration Smile\”

           \”Under the Bridge\”           \”C’mon girl\”

           \”My Friends\”                    \”Hard to Concentrate\”





Marinheiro da dor

19 11 2008

Marinheiro não sou,

deste veleiro à deriva.

Encalhado nesta ilha deserta de ti.

Com as velas da paixão

moldadas pelas mãos da brisa,

em busca de um vento mais forte,

que me leve do meu pensamento

a fúria da tempestade que em mim deixás-te.quero-te

Pudera eu ser ave, pois no céu da memória

mergulharia a minha dor, e com ela o desespero

de te ter perdido.

 

Audio: \”I Do\”





As voltas da Vida

19 11 2008

A vida é madrasta, ah pois é, eu vos digo, e não é por mim, tenho aquilo que quero e que mereço, já ultrapassei os momentos de queixa, a mesma vida a que tantos  revolta, a mim já me ensinou que devemos e temos de encarar de frente, seguir adiante abrindo as portas do desconhecido que a mesma nos vai colocando pelo caminho.

Mas gosto de parar, e recordar, e hoje recordei, acções que nos desesperam em momentos da vida, que terceiros tomaram, e hoje riu-me, quando a rejeição de tomadas de posição, encobertas pela desculpa de falsas moralidades, são aceites e implementadas quando o interesse tudo desculpa, faz lembrar a passagem de quem não tiver telhados de vidro que atire a primeira pedra.

É impressionante como as conveniências de cada um, levam a mudanças de verdades tão repentinas, o que hoje não pode ser aceite, amanhã é aceite incondicionalmente, quando as circunstâncias se invertem a verdade toma nova roupagem.

Que deveremos pensar destas tomadas de atitude? Por mim, deixei de tomar qualquer tipo de posição sobre estas mudanças, apenas me tornei mais cauteloso, porque posso ser alvo destas incongruências, e, porque não quero cair na tentação de resolver tomadas de posição com reviravoltas de valores, com desculpas inconsistentes.

Por isso vos digo, a Vida dá voltas, e dá-nos voltas, que nos deve levar a pensar bem antes de agirmos, pois aquilo que hoje não queremos e não aceitamos, devido aos valores que consideramos supremos, amanhã pode fazer-nos esquecer tudo, e fazer-nos negar os valores que tinhamos enraizados no nosso intímo.





Ensino

19 11 2008

Ao segundo dia fiquei horrorizado.

Pois é como vos digo, ao segundo dia de docência fiquei estupefacto com a falta de conhecimentos que já deveriam estar assimilados ao longo de anos de escolaridade obrigatória. Estou a dar formação técnica a alunos que estão neste ano equiparados ao 10º Unificado, mas que são da via Profissionalizante, e qual não é o espanto, quando esses alunos não sabem fazer uma converção de unidades do tipo de [m] para [cm] e se lhes pedir para fazer de [cm] para [m] a coisa fica negra, de tal forma que nem me atrevi a pedir conversão de metro quadrado para centimetro quadrado.

Dei comigo a pensar, onde é que eu vim cair, mais, como vai ser o futuro destes adolescentes quando entrarem no mercado de trabalho, não quis imaginar este País a ser dirigido daqui por 10 ou 15 anos por alunos como os meus.

Ao que o ensino chegou, com a fobia das estatisticas a apresentar na UE, criaram-se mecanismos que tornam quase, se não impossível, a reprovação de tamanhas aventesmas, desculpem o termo, mas não encontrei nada mais suave. Mais, com a quase obrigatoriedade de “passar” as referidas “peças”, os meus companheiros de docência, veem-se obrigados a atribuir atestados de competência, a quem é paupérrimo.

Costumo dizer aos meus alunos, que na área da Eng. Civil, a nossa responsabilidade é muito superior à de um médico operador, sem com isto querer elevar uma área em relação à outra, já que, como digo, um erro na marquesa e perde-se uma vida, e um erro no cálculo e perdem-se muitas vidas. Agora tentei estrapolar para o futuro o que serão estes jovens de hoje, e com pavor vos digo que a profissão de futuro deverá ser quase de certeza a de advogado, esses concerteza irão ter muito trabalho por causa da irresponsabilidade daqueles que hoje permitem este facilitarismo ao “estudante” com que nos deparamos.

Juro, fiquei horrorizado.